[RESENHA] O SOL É PARA TODOS

O-Sol-é-Para-todos

Título Original: To Kill a Mockingbird

Autora: Harper Lee

Editora Abril – Edição 1982 – 315 pág.

INDICADO PARA TODAS AS IDADES

Skoob

O ano é 1930, época da Grande Depressão nos EUA. Nossa narradora e protagonista é Jean Louise, mas como já somos íntimos vamos chama-la de Scout, ele tem apenas seis anos e nos conta como é sua vida com suas encantadoras palavras de criança. Scout é órfã de mãe e mora com seu irmão Jem, apenas alguns anos mais velho, seu pai Atticus e a empregada/babá/governanta Calpúrnia.

Na primeira parte do livro conhecemos a realidade e o cotidiano da cidade de Maycomb, e é muito gostoso ler a narrativa de Scout, suas brincadeiras engenhosas com o irmão, as brigas e a relação com o pai. É muito curioso como as crianças não parecem ter muito carinho com ele, lhe chamam pelo nome e não por pai. A empregada é objeto de terror de Scout, a menina reclama que a empregada sempre pega no seu pé e vive lhe impondo castigos. As crianças são muito inocentes e Scout narra seu cotidiano como verdadeiras aventuras, junto com Jem e seu amigo Dill eles aprontam com os vizinhos e se metem em muitas enrascadas.

“Eu e o Jem achávamos nosso pai razoável: ele brincava com a gente, lia para nós e nos tratava com um distanciamento cortês. Já Calpúrnia era toda ângulo, ossos e sua mão era duas vezes mais pesada.”

Também somos apresentados a rotina escolar das crianças, e ficamos intrigados quando a professora de Scout briga com ela porque a menina já sabe ler. Para a professora é inadmissível que o pai a ensine em casa, sendo que esse papel é da professora. É nítido como a população tem uma mentalidade pequena e tem medo de mudar sua rotina, encaram qualquer mudança como uma afronta a suas vidas.

“Nós no primeiro ano não escrevemos, desenhamos as letras. Só aprende a escrever no terceiro ano.”

Com o crescimento de Scout e Jem observamos como muda a forma como ela vê as situações que vive em casa. Calpúrnia já não parece tão rígida e a relação com o pai passa a ser de mais respeito e carinho. Na verdade a cada capítulo as crianças veneram mais a Atticus. E mesmo Calpúrnia ganha uma posição de importante respeito das crianças.

Atticus é um renomado advogado e a justiça local o designa para defender um negro acusado de estuprar uma moça branca. A partir daqui são nítidas as mudanças em como a população passa a tratar Scout e sua família. O preconceito nesse período americano é intenso, negros não são sequer considerados cidadãos, são tratados como a escória. E quando Atticus defendo o acusado ele afronta toda a cultura local, ganha inimigos e passa a correr risco de vida. Em nenhum momento você vê esse personagem reclamar, ele tem uma personalidade tão íntegra como eu nunca vi igual. Atticus é gentil, educado e acredita na igualdade. Suas atitudes influenciam diretamente nas opiniões de seus filhos. Scout e Jem também enxergam todos com igualdade e aos poucos começam a enxergar que a sociedade que vivem não pensa dessa forma.

“Querida, nunca pode tomar como um insulto que as pessoas te chamem nomes feios. Só mostra até que ponto essa pessoa é pobre de espírito, mas não pode te magoar.”

Essa leitura é um misto de emoções, você se diverte com Scout, Jem e Dill, são crianças simples e educadas, como raramente vemos hoje em dia. A narrativa pelos olhos de Scout é doce e extremamente simples, usando muitos dialetos. Somente com um olhar adulto enxergamos toda a sujeira que Scout fala sobre a sociedade, mesmo sem perceber a menina nos relata muitos casos de injustiça, desigualdade e preconceito.

“As pessoas não gostam de ter por perto alguém que saiba mais que elas. Isso humila-as.”

É um livro maravilhoso que merece toda a fama que tem. Com certeza lerei sempre que puder.

O título original, To  kill a mockingbird (matar a esperança), e o adaptado O Sol é para todos, refletem muito bem a essência da obra. Vemos uma sociedade que sentia que precisava mudar seus valores, mas não tinha a coragem suficiente para isso.

Se você tem vontade de ler clássicos esse é um ótimo livro para começar. A mensagem que ele passa vai te revoltar e te colocar pra rever alguns conceitos, mas vai fazer isso de uma forma especial, pelo olhar de uma criança.

“Acho que só existe um tipo de gente. Pessoas.”

Essa leitura foi realizada para o clube Cápsula Literária aqui em Sp e rendeu uma discussão muito bacana sobre a evolução ou não dos direitos humanos. Recomendo que leiam essa obra e conversem muito sobre esse assunto. A injustiça não pode ser velada, precisa ser combatida, sempre e pra sempre.

Tem mais dois trechos que desejo que leiam, sintam o que essa obra oferece ao leitor:

“Cheguei a conclusão de que as pessoas eram estranhas, por isso, fui me afastando delas e só pensava nelas quando a isso era obrigada.”

“Certo dia disse que só conheceríamos realmente um homem quando calçássemos os seus sapatos e caminhássemos dentro deles.”

O livro já foi adaptado e está disponível no Netflix, em breve conto pra vocês minhas impressões. Confiram um trecho:

14 comentários sobre “[RESENHA] O SOL É PARA TODOS

  1. Crônicas de Eloise disse:

    Oi Vivi, amei sua resenha. Tenho muita vontade de ler esse livro. Adoro quando nos deparamos com diversas mensagens que nos fazem refletir. Achei muito interessante a descrição das personagens (me interessei especialmente por Scout) e fiquei super curiosa para conhecer essa família e os dilemas que eles enfrentam dentro da sociedade.

    Adorei!
    Bjokas da Elo!
    http://cronicasdeeloise.blogspot.com.br/

    Curtido por 1 pessoa

  2. Cecília Justen de Souza disse:

    Ei, Vivi! Tudo bem?

    Já faz um tempo que eu tenho interesse por esse livro, mas só lerei quando tiver o físico em minhas mãos, pois acredito que seja realmente uma leitura sensacional, digna da minha estante. Recentemente tive uma aula e meu professor falou tanto que eu quase sai comprando, mas preciso me conter haha Amei ler sua opinião sobre a obra, me deixou com mais vontade de conhecer. O livro retrata um tema muito importante, não vejo a hora de me apaixonar como você.

    Beijos!
    http://www.as365coresdouniverso.com.br/

    Curtido por 1 pessoa

  3. Gisele Lopes - Abdução Literária disse:

    Olá, Vivi. Sou doida para ler esse livro, sinto que será uma experiência incrível e ele me marcará muito também. Aprecio os autores que conseguem tratar de assuntos extremamente complexos sob o olhar inocente de uma criança. Sério, não vejo a hora de ler. Sua resenha está incrível e me deixou com ainda mais vontade de conferir essa história.

    Beijos,
    http://abducaoliteraria.com.br

    Curtido por 1 pessoa

  4. jOYCE disse:

    Nossa essa edição é bem velhinha hein rs.
    Sempre quis saber mais sobre a época da Grande Depressão nos EUA, o que li até hoje foi bem resumido ou quase nada. Quero ler esse livro e vou correndo procurar o filme para assistir hoje à noite he,he, obrigada pela indicação, bjus.

    Curtido por 1 pessoa

Deixe seu comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s