[RESENHA] OUTLANDER – A LIBÉLULA NO ÂMBAR

Outlander-ALibelulaAmbar (3)

Título Original: Dragonfly In Amber

Autora: Diana Gabaldon

Editora Saída de Emergência- Ed. 2014 – 944 págs

Série: Outlander Vol. 2

Indicado para maiores de 18 anos

Favoritado ♥

Skoob

Se você ainda não leu o volume 1 Outlander, acesse a resenha e fique por dentro de todos os fatos. Nessa resenha não terá spoiler, todos os fatos descritos aqui podem ser lidos nas capas, conta-capas e sinopses do livro, mas vou acrescentar a minha experiência de leitura que por si só já é uma história.

Finalizamos o volume anterior quando Jamie e Claire fogem da Escócia para a França e nossa primeira surpresa nesse volume é que a narrativa começa com Claire 20 anos depois desse acontecimento. Ela está de volta no seu tempo, agora, viúva de Frank e em viagem a Escócia com sua filha Brianna, uma jovem linda e ruiva.

“Claire Randall retornara. Fora encontrada, desgrenhada e vestida de trapos, vagando perto do local de onde desaparecera.”

Como não entrar em choque com essa realidade?! A primeira coisa a pensar é: Cadê o Jamie? Não é possível que a série seja tão longa se ele morrer agora! Pois então, fui adiante na leitura porque acima de tudo precisava saber o que aconteceu a Jamie.

Outlander-ALibelulaNoAmbar (1)

Nessa viagem o objetivo de Claire é contar a Brianna a suas origens, ela escondeu esse segredo de sua filha por todos esses anos e é chegada a hora da verdade. Para ajudar nessa tarefa contaremos com a ajuda de Roger, o filho do reverendo Wakefield, se lembram dele? Agora um homem adulto ele terá uma grande participação nesse momento, com até mesmo alguns trechos da narrativa sob o ponto de vista dele.

“Apenas… deixe-me… contar-lhes… a verdade, rezei. Sem a menor ideia de para quem dirigia minha prece. Para Jamie, pensei.”

Através de um flashback Claire nos leva de volta ao momento em que ela e Jamie desembarcam na França. Nesses primeiros capítulos com a corte Parisiense somos inseridos em um complexo jogo político. Entre jantares, bailes e fofocas nosso casal tenta com todas as forças frustrar os planos de Charles Stuart, a Batalha de Culloden precisa ser impedida para que milhares de escoceses (inclusive a família de Jamie) não sejam dizimados pelos ingleses.

“Quem éramos nos para alterar o curso da história, para mudar o curso dos acontecimentos.”

Fico cada vez mais admirada com a capacidade da Claire em se envolver em perigos absurdos. Teremos mais de uma tentativa de assassinato no desenrolar da história, teremos duelos, amigos que na verdade são inimigos e tudo isso regado a muito whisky. O Sr. E a Sra Broch Tuarach causaram muito na França meus amigos! E embora seja uma narrativa com riquíssimos detalhes históricos (aprendi mais com esse livro do que com minhas aulas de história) e muitos acontecimentos eu achei levemente maçante. Me cansei de Paris e suas intrigas políticas e um excesso de novos personagens, mas logo fui recompensada. Em não só um, mas dois plow twist Diana quebrou tudo o que parecia óbvio e levou nossos protagonistas a situações extremamente inusitadas. Tudo para garantir que as famílias escocesas sobrevivessem ao massacre da Batalha de Culloden.

“Então não era uma brincadeira de mal gosto? Alguém de verdade tentou me envenenar.”

Se você ficou em dúvida se deveria começar essa série por ela ser longa, eu realmente aconselho que leiam. São sem dúvida muitas páginas, mas tudo que acontece tem o um por que. Mesmo o excesso de personagens que me cansou acaba tendo um significado, acreditem nenhuma página aqui é perdida, fiquem atentos a todos os detalhes porque eles vão voltar.

“Há maneiras piores de matar sem ser com uma faca ou uma arma de fogo, e há coisas piores do que a morte física.”

Tive uns bons choques de emoção nessa leitura, todos com quem conversei tiveram as mesmas surpresas, frustrações e alegrias, o enredo é muito bem desenvolvido para surpreender e emocionar.

Nesse volume o que mais gostei foi que pudemos conhecer ainda mais nosso leal amigo Murtagh e ganhamos Fergus, um baixinho parisiense que Jamie contrata para roubar pra ele e se mostra um verdadeiro servo fiel. Tive também o prazer de rever muitos personagens que estavam presentes no primeiro volume. E também precisei lidar com muitas perdas, muitas mesmo.

Outlander-ALibelulaAmbar (1)

A cereja do bolo sem dúvida é ver o relacionamento de Claire e Jamie, eles estão mais maduros e mais unidos que nunca. O amor deles é o pilar da série, sem nunca se tornar meloso ou romantizado demais, é tudo na medida certa.

“Vivos e unidos num único ser. Somos um só e enquanto nos amarmos, a morte jamais nos alcançará.”

Claire como protagonista é sensacional, ele está ainda mais forte e passa por dores e perdas terríveis, mas mesmo assim não perde tempo se lamentando. É um exemplo de fortaleza.

Claro que ainda sou apaixonada pelo Jamie, ele consegue entre erros e acertos, ser o maior cavalheiro literário que já conheci e faz nesse volume uma das declarações mais lindas da história literária:

“— Eu vou encontrar você. — ele sussurrou em meu ouvido. — Eu prometo. Mesmo que eu tenha de suportar duzentos anos de purgatório, duzentos anos sem você — então essa é a minha punição, que eu mereci por meus crimes. Porque eu menti, matei, roubei; trai e quebrei confiança. Mas tem uma coisa que deverá estar na balança. Quando eu estiver na frente de Deus, eu terei uma coisa para dizer, para pegar contra todo o resto. — sua voz caiu. — Deus, você me deu uma mulher rara, e Deus! Eu a amei da maneira certa.”

Essa série é um misto de emoções. O primeiro volume é meu favorito, mas esse segundo não deixou a desejar. A escrita da Diana é muito incrível, ela nos prende no mistério para entender o que aconteceu com Jamie e porque Claire voltou ao presente e mesmo depois que entendemos isso a história não acaba, ainda vamos lidar com as reações de Brianna para essas revelações sobre a vida dela e de sua mãe e depois disso ainda vamos esbarrar novamente em Craig-Na-Dum.

“Alguns dizem que a colina é encantada, outros, amaldiçoada. Todos têm razão. Mas ninguém conhece a função ou propósito das pedras. Exceto eu.” Prólogo

A autora consegue amarrar todas as pontas da história e na última frase ainda nos deixar um belo presente, um motivo para continuar a leitura da série. É de aplaudir de pé!

Dessa vez consegui ler pelo livro físico e pelo ebook. A edição física tem essa capa linda de viver, fica perfeita em qualquer ângulo que você olhe e a diagramação está impecável, não achei nenhum defeito nas mais de 900 páginas. Mas a comodidade de carregar o ebook na bolsa com certeza faz diferença e deixa a leitura mais rápida uma vez que posso levar pra qualquer lugar, cada dia me convenço mais que ambas as formas de leitura são maravilhosas.

Outlander-ALibelulaNoAmbar (6)

Contei mais detalhes dessa maravilhosa experiência de leitura em um diário no instagram, acessem #LendoALibelulaAmbar e participem nos comentários.

Comecei a assistir a segunda temporada da série e notei algumas diferenças, poucas até o momento fiquem tranquilos, estou gostando muito, ainda afirmo que é uma das séries mais fiéis ao original. Vou falar mais sobre isso no post de Melhores de Agosto ok, aguardem.

“Mas aquela noite eu estava de mãos atadas; impossibilitada de me mexer, como uma libélula no âmbar.”

25 comentários sobre “[RESENHA] OUTLANDER – A LIBÉLULA NO ÂMBAR

  1. Jessica Rabelo | Fantástica Ficção disse:

    Oii Vivi, meu maravilhoso cupecake de resenhas (olha a intimidade). Okay, você me convenceu. Estou convencida. Certo… Vou ler Outlander.
    Se você gostou, confio, deve ser maravilhoso. Não tenho medo das páginas, mas do romance. Mas se você diz que não fica meloso de mais, então com certeza estou convecida.
    Okay, estou redundante.
    Mas a questão é o seguinte:
    Livros longos, séries principalmente acabam se perdendo durante a trajetória ou parecendo exageradas. Sua resenha me convenceu que Outlander não faz uma nem outra coisa.
    Por isso espero que minhas leituras da serie sejam tão boas como foram as suas.
    Beijos.

    Curtido por 1 pessoa

  2. clubedofarol disse:

    Não sei bem o motivo, mas meu santo literário nunca bateu com Outlander. Nunca tive vontade de ler nem a sinopse, mas você despertou a minha curiosidade com a sua resenha.
    E te entendo, também aprendi muitos detalhes históricos em livros de ficção que nunca aprendi na escola.
    Parabéns pela resenha!
    Bjo
    ~ Danii

    Curtido por 1 pessoa

  3. jOYCE disse:

    Oi Vivi, adorei sua resenha impecável como sempre, adoro quando eu aprendo mais com os livros do que com as aulas de História e só por isso esse livro já me cativou, a roupa desse personagem me lembrou um filme muito engraçado que eu assisti, que pena que só assisti pela metade, quero assistir ele completo. Menina que enredo é esse hein? Fiquei curiosa em saber qual o segredo guardado as sete chaves rs,rs, parece ser um lindo romance, já quero me embriagar nessa leitura, mas sem whisky, vou trocar pelo vinho amiga kkk, somos nós rs,rs. Apesar de ter preguicinha de ler livros com muitas páginas esse eu leio, o vinho irá me ajudar , adorei esses quotes, bjus e bom domingo para ti.

    Curtido por 1 pessoa

  4. cancaodoslivros disse:

    Olá! Tudo bem??
    Que resenha linda! Amei cada fotinha! Sou apaixonada pelas capas dessa serie, infelizmente, não consegui ler os livros ainad apenas assistir! Mas quero muito! Tem cara de que o livro é bem melhor que a serie! Beijos

    Curtido por 1 pessoa

Deixe seu comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s