[RESENHA] MELINDRE

Melindre (4)Literatura Nacional – Poemas

Autora: Emanuele Sloboda

Chiado Editora – ed. 2017 – 59 págs.

*Livro cedido pela autora

Email para contato: manu.aquinos@gmail.com

Skoob

INDICADO PARA TODAS AS IDADES

“Ser poeta é escrever cada linha com um pedaço do coração.” Pág. 55

Fazia muitos anos que eu não realizava a leitura de poemas. O mais próximo que havia chegado de poesia escrita foi ano passado, em Mentirosos da E. Lockhart, que possui uma narrativa bem poética. Confesso que fiquei um pouco cismada de não gostar, mas não poderia estar mais enganada, não só gostei como mergulhei nas páginas e realizei um verdadeiro estudo para compreensão da obra.

Com poucas páginas a leitura se torna rápida e extremamente fluida. Fiz a primeira leitura sem buscar nenhuma informação sobre título ou autora. Tirei minhas próprias conclusões sem interferência externa. Na mesma tarde acessei páginas de estudo para análise de obras de poemas. Pra quem já se formou a alguns anos foi uma experiência bem nostálgica sentar com papel e caneta para estudar. E após pesquisar palavras que eu desconhecia e a análise literária eu realizei uma nova leitura.  Essa é uma dica muito boa pra vocês, sempre leiam mais de uma vez um livro desse gênero, de preferência com bastante concentração, ajuda muito na interpretação.

Melindre (6)

A segunda leitura foi ainda mais especial, consegui enxergar conexões entre os poemas, consegui sentir o que a autora estava passando e mais importante, consegui conectar o trabalho de capa com o trabalho de texto. Não sei vocês, mas eu AMO uma edição que é pensada para o leitor, onde todos os elementos se conectam. Pude sentir a dedicação da autora e da editora nesse trabalho. Foi lindo.

O título, Melindre, pode ter alguns significados de acordo com o dicionário: vergonha; recato; suscetibilidade; sensibilidade; sentir. E temos todos esses significados descritos em vários poemas da obra.

Melindre (5)

Pra compreender melhor precisamos conhecer um pouco da autora:

Emanuele Sloboda nasceu em janeiro de 1994, em Campina Grande do Sul – Paraná. Foi adotada aos três anos de idade. Escrever fora o limiar de sua salvação. As recordações de inúmeras eras pregressas a tomaram intempestivamente. Por ter crescido em uma família espírita, vagarosamente compreendera o incompreensível. Seu compromisso é o de salvar os errantes, os quais, um dia, ela tivera afinidades hostis e perdera-se de si, abruptamente.

Não vamos entrar no mérito da discussão sobre crenças aqui ok. O que vamos analisar é a vida: Emanuele se sentia fora dessa realidade, como se não fizesse parte desse mundo, imagino que ela se sentiu só muitas vezes, mesmo tendo uma família adotiva. Nesse misto de emoções na cabeça de uma criança ou adolescente com certeza ela já sentiu raiva e vergonha dessa sensação. Todos nós já ficamos confusos com nossos sentimentos na vida e precisamos de uma válvula de escape.

A autora encontrou na poesia a forma de se libertar de toda essa confusão de sentimentos. Os poemas são a forma escrita da poesia, que nada mais é do que a forma de nos passar sentimentos e sensações através, nesse caso, da palavra escrita.

Sou poeta

O anjo, o pássaro…

A lágrima escondida em cada sorriso,

Sou o que não sou

Sei ser, sem ser

Sei sonhar, sem ter sonhos

Sei viver…

… Sem sequer existir” Pág. 27

Melindre é um livro para ser sentido.

Em cada página eu senti o medo da solidão, o abandono da alma, a confusão de sensações, a vergonha, o recato e enfim o amor, a libertação e a esperança. Foi uma trajetória incrível essa leitura.

A autora usa rimas, repetições e ritmo em vários versos para nos passar todo o seu sentimento.

“Para pensar novamente e um novo mundo inventar

Respirar novos ares

Daqueles, antes, que já enjoamos

Penso,

Penso,

Penso,

E cutuco mais uma vez meus dedos na mesa” Pág 25

A edição está ótima. Fiquei encantada com essa capa, a cor é fria e tem muita escuridão, mas existe uma mescla de luz inconfundível. A própria capa já é uma poesia a ser desvendada. A fonte é bem definida e sem erros de impressão ou edição. A obra é dividida em duas partes, a primeira narra essa mescla de sensações com versos livres, com rimas e ritmo. A segunda parte, Sussuros, são pequenos trechos compostos de pensamentos.

Melindre (3)

Recomendo muito esse livro pra você que como eu, não lê poemas há muito tempo, pra quem ama a poesia em todas as formas, seja na arte plástica, na música ou na literatura e também para você que busca uma nova experiência literária, porque está cansado de mais do mesmo.

“O ‘obrigado’ vem no olhar, pois é nele que é criado os mais belos poemas.” Dedicatória

*** Gostou do livro? Entre em contato com a autora pelo email: manu.aquinos@gmail.com

Anúncios

33 comentários sobre “[RESENHA] MELINDRE

  1. jOYCE disse:

    Olá Viviane, nossa como eu adorei esse livro, só pelos poucos poemas que você citou, sou apaixonada por poesia e me identifiquei demais com o primeiro poema, já quero esse livro pra ontem , dica anotada, bjus , adorei a forma que falou sobre o livro e a autora. Bom fim de semana.

    Curtido por 1 pessoa

  2. yasmiimbraga disse:

    Olá Vivi, ! Tudo bom? (:
    Eu não leio muito livros de poemas, apesar de ter alguns favoritos, mas foi porque os descobri por coincidência e indicação de amigos. Gostei da sua indicação e sobre pesquisar e ter muita concentração, deve ajudar muito! Amei sua resenha, parabéns!
    Beijos, Yasmim.

    Blog: http://literarte.blog.br

    Curtir

  3. gataliteraria disse:

    Plan Vivi, amei seu texto, muito caprichoso e recheado de fotos lindas, me senti aquecida por ele. O livro me parece ser incrível, amei os trechos que compartilhou ! Engraçado como não lemos poesia né, é um gênero tão bonito e quando escrita com esse amor todo fica ainda melhor. Parabéns pela postagem e pela parceria com a autora, livro autografado é muito amor né ❤️❤️

    Curtido por 1 pessoa

  4. amorpeloslivrosapl disse:

    Nossa, parabéns pela resenha e apresentação desse livro. Faz muito tempo que não li um de poemas e esse me instigou a curiosidade, e como você disse a capa é linda, azul é a cor recomendada para a calma e se você olhar a capa você sente isso, mesmo nos tons mais escuros.
    Amei a dica =D

    Curtido por 1 pessoa

  5. blogcomv disse:

    Olá, Vivi!

    Adorei sua resenha, a edição é fantástica e o livro parece ter um conteúdo bem bacana. Amo poesias! Mas apesar de curtos, procuro digerir lentamente e como você mesma disse, ler mais uma vez sempre nos mostra algo que a gente deixou passar da primeira vez, não é?

    Um beijo, Carol
    Blog com V.

    Curtido por 1 pessoa

  6. Gabi disse:

    Apesar de parecer um livro apaixonante, não curto muito poesias. No entanto você falou com tanta paixão sobre o livro e as fotos ficaram tão lindas que me deu vontade de ler mais. Você também falou sobre conexões. Adoro quando elas aparecem

    Curtido por 1 pessoa

Deixe seu comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s