[RESENHA] UM CAFÉ COM SARTRE

Um Café com Sartre (5)Autor: Marcelo Pereira Rodrigues

Produção independente – Edição 2006 – 175pgs

Favoritado ♥

INDICADO PARA MAIORES DE 18 ANOS

A universidade abre portas e expande a mente. Isso é um fato que todos que já viveram essa fase podem afirmar. Nesse período da vida realizamos muitas escolhas e vivenciamos muitas novas conexões, além de novas descobertas sobre nossa própria personalidade. Que jovem nunca se questionou: “Quem sou eu?”.

Nesse clima de juventude e descobertas nossos personagens Mateo, Sabina e David formam um grupo de leitura unido pelo amor ao filósofo francês Sartre. Mas não se deixe enganar, esse livro não vai falar sobre Sartre. O filósofo é o inspirador de questões existenciais dos personagens, mas não é o foco.

Um Café com Sartre (2)

Mateo é escritor, nos leva para passear pelas ruas de BH em táxis e coletivos. Ele está observando pessoas para se inspirar para seu livro em desenvolvimento, livro que já deveria estar pronto, afinal ele já recebeu seu pagamento. Mas no momento Mateo sofre um bloqueio criativo. A saída para se inspirar talvez seja se entregar a uma relação mais íntima com Sabina. A vontade de estar com ela tem causado muitos conflitos na mente de Teo.

“…e isso é assim! Escolha gera angústia. O fato de ter uma namorada me elimina a possibilidade de ter tantas outras.” Pág. 108

Desde que se conheceram os amigos flertam, mas nunca deram um passo adiante. Sabina é uma moça focada, será uma advogada, racional e decidida. Mateo sabe que é completamente o oposto dela. Ele é um libertino, não se prende a responsabilidades e regras, vive o hoje na sua máxima e nada mais. Como ele poderia se envolver com alguém como Sabina?

“Que mundo é esse, sem problemas do cotidiano, sem horários fixos, sem compromissos formais. Isso existe? Mateo representava uma liberdade ousada demais, é o contraponto de David, em seu terno de linho e camisa branca com gravata frouxa.” Pág. 40

David seria ideal para Sabina. Ele também é focado, será um grande advogado e eles se dão muito bem. Estão até planejando viajar para Pouso Alegre nas festas de fim de ano. Sabina vai apresentá-lo a sua família. Parece o correto, com certeza todos vão adorar David. Mas lá no fundo Sabina sabe que ser muito correto é justamente o que não a atrai em David.

A construção da história é uma das mais estruturadas que já vi. O início com um possível triângulo amoroso me deu um leve susto, todos sabem que as chances de um triângulo amoroso estragar a história são muito altas. Mas não aqui.

A relação entre os três amigos é o estopim de muitas reflexões intimistas de cada um. Sabina que se apresenta tão forte, na verdade é muito receosa, Mateo que sempre se mostra tão leve, sem compromissos, na verdade anseia por uma âncora na sua vida tão bagunçada. E David que deveria ser estruturado e sério, na verdade nem sabe muito bem quem ele é.

Um Café com Sartre (3)

Em meio a toda essa confusão existencial temos diálogos inteligentes e humorados. É muito fácil se identificar com os personagens, eles são gente como a gente. Interagem na sociedade, contam histórias como as que  ouvimos dos nossos vizinhos e tem medos e defeitos como todos nós. Pude sentir o drama sentimentos e profissional de Teo, a angustia da dúvida de Sabina sobre quem deveria ser seu par e a insegurança de David em se mostrar como ele gostaria de ser realmente.

O autor usa e abusa de referências nacionais, principalmente musicais, sons como Pétala e Teus Sinais de Djavan dão tom à história. Tudo isso em 175 páginas. Quem diria que em tão pouco espaço o autor pudesse contar tantas histórias. A leitura é extremamente cativante, me ganhou nas primeiras páginas.

Ao todo são 34 capítulos, curtos, como a maioria dos leitores gostam. Em páginas com aquele tom amarelado que a gente tanto curte e uma fonte muito agradável. Eu honestamente mudaria a capa. Entendo o conteúdo informal e despojado de um bar-café que a ilustração passa, mas não me cativou e não achei que casa com o conteúdo do livro.

Um Café com Sartre (1)

Amei a leitura e todas as referências ao filósofo Sartre. Fiquei com um gostinho de “quero mais” em conhecer as obras do autor e entender mais sobre seu conceito de que “a existência precede a essência”. Eu realmente concordo que primeiro o homem existe e só depois de suas experiências de vida ele cria uma essência e se define como um ser individual.

Se você curte um romance inteligente, com humor, referências nacionais e final totalmente fora dos padrões clichês, aposte em Um Café Com Sartre. Exercite sua mente com todas as questões existenciais dos personagens e prepare-se para um final nada convencional. Acredite você jamais vai prever o desfecho dessa história, é um frescor para leitores que, como eu, já leram dezenas de romances e acham fácil prever o final feliz e clichê. Te desafio a prever esse final.

“Não se tem aqui, um romance presumível, em que, para saber da história. basta ler as primeiras páginas, como tantos, feitos em cadeia, a partir de modelos popularmente fixos.” Ana da Cruz – Escritora

 

 

 

Anúncios

24 comentários sobre “[RESENHA] UM CAFÉ COM SARTRE

  1. Amanda Melo disse:

    Caramba, que resenha maravilhosa! Eu mostrei ao meu noivo. Ele é psicólogo e opaixonado por Sartre. Eu e ele lemos a resenha juntos agora. A premissa é fantástica. Essas referências ao filósofo é exemplar. Lembro que na época da faculdade estudei sobre vários filósofos. O que mais me chamou atenção foi Focault. No livro A palavra e as coisas ele cita justamente Sartre como uma de suas referências. Eu curto e muito romances inteligentes e prespicazes.

    Curtido por 1 pessoa

  2. Camila Mondaini Paulino disse:

    Oi Vivi! Achei bem legal essa história e quando você falou em triângulo amoroso cheguei até a arregalar os olhos porque sempre tento fugir deles, mas que bom que ele não estragou a obra. Outra coisa que me chamou atenção no livro foi o fato de que realmente as aparências enganam. Os personagens se mostra ser algo e são totalmente diferentes, achei isso muito bacana. Gosto de livros que nos fazem refletir e esse parece ser assim. Vou anotar a dica.

    beijinhos!
    https://leiturize-se.blogspot.com.br/

    Curtido por 1 pessoa

  3. Mirelle Almeida disse:

    Oi, Vivi, tudo bom?
    Eu já tinha visto esse livro em algum lugar e fico muito feliz em saber que ele é maravilhoso. Sempre tive curiosidade de conhecê-lo e sua opinião sobre ele me deixou com mais vontade ainda. É tão bom quando os personagens nos cativam assim! Essa deslocação de Mateo me fez lembrar de um livro que li faz um tempo e que a personagem principal sempre está dentro de um táxi, tendo conversações tão curtas quanto uma corrida, e assim nos faz conhecer melhor Brasília, só que ela também é de BH. Fico feliz que você tenha desfrutado da leitura e que o autor tenha saído do convencional.

    P.S. Também surto com triângulos amorosos, kkkk, mas ainda bem que esse não chateia o leitor.

    Beijão

    Curtido por 1 pessoa

Deixe seu comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s